sexta-feira, 3 de julho de 2009

Família, o que tem acontecido?

O assunto das últimas semanas: “a morte de Michael Jackson”, mas não é sobre ele, muito menos de sua carreira que quero escrever, mas sim sobre família e as marcas que ela pode deixar e o que uma criança pode se tornar devido a ela...
É triste ver como a vida desse homem se desenrolou, cheio de frustrações, não aceitação e escândalos. Alguém que tinha tudo, mas ao mesmo tempo nada!
Ver como a família em todo tempo tenta se promover à custa da morte de um filho/irmão e vendo isso percebo quando não se tem uma base sólida familiar, o que pode ser gerado na alma de uma pessoa.
Um pai que humilhava seus filhos e uma mãe omissa é a combinação perfeita para filhos frustrados. Para mim ele era uma criança que cresceu que por mais que não tivesse um bom relacionamento com o pai, toda sua vida foi uma tentativa de agradá-lo ou na tentativa de se tornar aquilo que ele achava que deveria ser, ideia essa, inserida pela família!
Sabe, me pergunto por que pessoas que passaram por isso não tomam posturas e se tornam adultos diferentes? Mas não há como explicar, cada um tem a sua maneira de reagir diante de cada situação e quem sou eu para medir a ferida da alma!?

Isso tudo em mim gerou certa tristeza em ver como há muitas crianças que hoje passam por isso. Vivem em lares destruídos, com pais que não se importam com seus sentimentos, que pensam: “são crianças”, mas crianças SENTEM, muito mais que nós adultos!!
Hoje não quero escrever nenhum belo texto, mas quero deixar um recado: cuidem de seus filhos, seus irmãos! Cuidado com as palavras elas ferem muito mais que um tapa e acima de tudo ame e expresse isso!

Talvez se a família de Michael Jackson tivesse agido dessa forma tudo fosse diferente, talvez se ele tivesse tomado uma postura... Hoje tudo é um talvez, mas a vida dele passou infelizmente dessa forma e uma coisa é certa isso é reflexo do que a bíblia diz “que o amor de muitos esfriará”, amor de pai para o filho, de filho para pai, entre irmãos e não somente nesse caso, mas vemos isso acontecer todo dia. É triste, mas realidade!
Digo então, nos preocupemos com as crianças que hoje vivem isso, para que amanhã não se tornem como ele, adultos frustrados que buscam aceitação!

7 comentários:

Aline disse...

Pri

Qto tempo q nao passo por aki hehehehehehe

Um texto muito interessante gostei.Sou ser franca tbem passei por essa fase meu passado foi muito sofrido como o do Michael.Mas hoje graças a Deus estou curada do passado Deus me libertou disso

So Deus na vida dessas pessoas nada de terapia com psicologos ou psiquiatras só Jesus mesmo e a pessoa se aceita como ela é e querer mudar o passado e deixar o Senhor fazer a obra

Passa la e comente

Bjusssss

Aline disse...

ops sou ser franca kkkkk

Ser sincera

Moça do Fio disse...

Querida,

Gostei da forma diferente com a qual você discorreu sobre a morte dele, Michael, tão discutida pela mídia e por muitos blogueiros.

Eu concordo quando você fala da perda da importância da família para as pessoas deste mundo doido no qual vivemos. Cada vez mais há distâncias e brigas, desentendimentos.

Bons tempos eram aqueles em que todos juntos sentavam-se à mesa para fazer as refeições.

Vamos voltar?


Beijos.

Jefferson Araújo. disse...

vemos a cada dia que o papel da família tem sido jogado no lixo pela sociedade. E tudo isso é refletido na educação dos filhos, que serão os futuros pais, e que passaram a mesma educação para os seus filhos...

O mundo criou muito sensacionalismo na morte do MJ, porém esqueceu de abordar o fator mais importante de tudo isso.

Sarah Toledo disse...

é uma triste verdade perceber como atitudes erradas durante a infância de uma pessoa pode modificar completamente sua vida. infelizmente pouco se dá importância a isso. não só pq não existem mais famílias (segundo o conceito original), mas pq muitas delas não se importam... é preciso tomar muito cuidado com o que se faz e se diz. não dá pra prever o futuro, mas dá pra imaginar que tipo de consequência pode ter.

beijo, moça.

Uerlle Costa disse...

Pri nem vou comentar pq na verdade nem li.
Só passei pra dizer que mudei o blog.Agora é aprendizdesimesmo.com.
Mas prometo interagir mais com vc e seus posts.
Saudades de ser alimentado por suas belas palavras.

Beijos

Uerlle Costa

Gaby Soncini disse...

Priscila você falou o que andei pensando nesses últimos dias desde que ele morreu.Concordo plenamente com você e tenho muito medo de como esse amor de família vem se acabando cada vez mais.
É triste.
Muito bom seu texto.

Grande beijo.