terça-feira, 13 de janeiro de 2009

O retorno

Havia conseguido se libertar, agora andava sozinha naquela floresta. Seu longo vestido escarlate estava manchado, sujo e molhado, a chuva caía forte, mas ela não olhava para trás, só corria, desejando ficar longe dele!
No castelo o Rei não desistia de encontrar sua amada filha, mandava seus soldados à procura dela, mas cada dia eles voltavam sem boas notícias, mas o Rei não perdia a esperança de encontrá-la...
Ela correu e se escondeu em uma pequena caverna, sua respiração era ofegante, estava cansada, mas sentiu-se aliviada ali. Pensava na vida que levara antes de conhecer o homem, seu pai sempre tão carinhoso, ela lembrava das cirandas que faziam juntos, o castelo, suas vestes que nunca havia dado valor! Como pôde confiar naquele homem ela pensava, seduzida por suas palavras, abandonara tudo!
O Rei manteve firme seu reino, apesar da dor que lhe afligia por sua filha, ele lembrara que havia tantos outros que necessitavam de seu auxílio. Quando estava só, a dor o tomava por completo e chorava por ela, mas não era raiva, mas o amor que o fazia sofrer!
Ela acabou por adormecer e acordou quando os primeiros raios de sol entraram na caverna. Ela levantou-se e antes de sair olhou em volta, as folhas estavam molhadas decorrente das chuvas, o barro no chão que sujava mais ainda seu longo vestido, mas estava contente, abriu os braços e como criança girava, pois se sentia livre!
Seguiu sua jornada, sabia que havia uma longa caminhada de retorno à sua casa, lembrou-se das histórias que seu pai contava e dos perigos que havia na imensa floresta e assim apressou-se!
Dentro dos muros do grande castelo o Rei passeava por seu jardim, lugar preferido de sua doce filha, junto à fonte ela compunha canções, tocava sua harpa e escrevia lindas poesias. Seu coração se enchia de ira por aquele homem que levara sua filha, o Rei tinha consciência de que ela havia ido por suas próprias escolhas, mas ela fora enganada, seduzida por mentiras e falsas promessas!
Mais uma vez o Rei mandou parte de suas tropas à procura de sua filha...
A noite já vinha chegando e ela não tinha mais forças, seus pés estavam cansados, sentia fome e se arrastava tentando chegar ao alvo e sonhava com o dia do reencontro com seu pai, mas sem mais conseguir caminhar caiu no interior da imensa floresta...
Os cavaleiros percorreram muitos caminhos, até que ao longe avistaram alguém caído no chão, apesar dos trajes rasgados e sujos reconheceram a princesa e colocaram-na dentro da carruagem. Durante o caminho ela acordou com o galopar, assustou-se achando que novamente havia sido pega, mas para sua alegria avistou o chefe da guarda de seu pai e o abraçou fortemente em gratidão!
Logo ela avistou o imenso castelo, ao longe os estandartes e bandeiras balançavam com o vento, seus olhos brilharam e seu coração pulsava forte, pois a pouco mais reveria seu amado pai!
O Rei já as portas do palácio viu seus guerreiros, pensava que mais uma vez receberia más notícias, sua esperança se esvaia a cada nova busca...
Ao parar a carruagem, ela não se conteve e saiu correndo, o Rei com os olhos cheios de lágrimas, correu ao seu encontro e ela se lançou aos seus pés! Disse ao Rei que não era digna de ser chamada sua filha, mas ele com todo amor a tomou pelas mãos, levantou o seu rosto e disse que a amava independente do que havia feito, seu amor permanecia inabalável!
Ela sorriu e não conteve as lágrimas, o Pai a tomou em seus braços e a levou para o interior de seu palácio, ordenou a seus servos que preparassem um banho e o mais belo vestido, pois naquela noite haveria festa... A filha que estava perdida, havia sido encontrada!

13 comentários:

jeffao_araujo disse...

Meus olhos estão cheios de suspiros por esse textos.
Meu coração está inundado de lágrimas.
Que belas palavras.
Que bela contextualização da parabóla que mais revela o carater de Deus na Bíblia.
O Pai que ama.
O Pai que perdoa.
O Pai que não quer ouvir explicações.
Ele apenas nos recebi.
E troca nossas vestes.


Que lindo e doce.

Aline disse...

Oieeee

Pri vc tem um dom que o Papai do Ceu te deu escrever historias.Deixa Deus te usar hehehehehehe

Amei essa ´postagem e quase igual a parabola do Filho Prodigo.

Muito obrigada pelo comentario no meu blog pois sinto que e um mover de Deus na minha vida esse tempo que tenho passado o Senhor tem me moldado e me quebrantado mudado meu carater ore por mim viw

Passe la ta atualizado

Bjusss

Ana disse...

Que lindo Pri!!!
e pensar que inúmeras vezes desobedecemos o Pai e acabamos perdendo de vista o castelo!
Adorei a forma com que escreveu!Simples e ao mesmo tão singular...um jeito só seu!
Acho que quem tem que escrever um livro é você ein?
Tenho certeza de que muitas almas seriam salvas através das tuas histórias!!
DEUS TE ABENÇOE MUITO!!

ps:ficarei um tempo sem postar no blog,mas sempre vou passar por aqui ler tuas belas palavras!

abraços!

Sarah Toledo disse...

que belo! me lembrei do filho pródigo, como o jeff. e pensei em nós tb. que nos afastamos do nosso Pai por sermos seduzidos por tantas coisas. e ainda assim Ele nos procura, e nos espera pronto a nos receber. é maravilhoso pensar nisso.

continue escrevendo de forma tão singela.


bjim.

Gilmara Coletto disse...

Flor!!!

Que lindo! Realmente o amor do nosso Pai é incondicional, mesmo que nos afastemos do seu amor assim como um pai amoroso ele nos recebe e nos toma em seu amor.
Que linda forma de expressar esse amor!
Que bom é saber que Deus nos recebe da forma que estamos e nos dá novas vestes e prepara festas como forma de nos dizer não importa as circustancias eu os amo!!!

Bejus linda!

Elizeu Soares disse...

Que linadas palavras, que linda História que me paresse na base da parabola do filho prodigo...
e tanto a sua História quanto a parabo-lá tocam o nosso coração
que possamos voltar ao Rei dos Reis e Senhor dos Senhores e estar em sua presença, no colo do Pai...
Fica na paz.

Danillo Araújo. disse...

Olá Pri... Priscilla???

Tudo bem??

Tava dando uma olhada no seu blog...>>. muito legal. gostei do Post!

Linkei o seu blog no meu!

Um abraço, e tudo de bOm.

Lilian Pavan disse...

Pri,

Você é uma poeta menina!
Seus post´s me faz viajar, sonhar e entrar nas histórias.

Isto vai render um excelente Musical!

Outro dia, ouvi uma música que diz que Deus é como um caçador atrás da sua presa.
Podemos fugir, escapar, nos esconder, mas Ele sempre ira atrás de nós p/ nos resgatar.

Q. lindo né, Pri!
Mesmo que a família, amigos desistam de nós, o Paizão vai nos caçar até encontrar.

bj grande lindona

Danillo Araújo. disse...

Vlw pri..>>.

Estarei sempre por aqui tB!!

Um abraço...

bjs.

Gaby Soncini disse...

Eu sempre gosto de vim aqui e me deparar com suas preciosidades,sua fé e seu encanto nas palavras.

Esse texto em especial está fabuloso não por eu gostar de fantasia mais reconhecer a lição tirada da blíbia que nele você colocou.

Só tenho que dar meus parabéns e dizer que é sempre bom estar aqui nesses seus passos.

Grande beijo.

Victor Canti disse...

uma história bela, encantada pelo bem, humana e divina, uma ótima forma de transmitir a mensagem de amor...
parabéns, como sempre com belos textos e mensagens!!
beijos

Uerlle Costa disse...

Que saudades que eu estava de passar aqui e ler coisas tão lindas como essas que você escreve.

Beijos

Luana e Luma disse...

Oiiii Pri.
Cm c tah?
Que lindo texto! Nova versão da parábola do Fiho prodigo né?! rsrs.

Lembras mto tb, da gravação do DT 5.


Bjusss
Deus te abençoe e te use!